terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Naomi Campbell by Wolfgang Tillmans

A Naomi Campbell é adorável. Eu sei que nem toda a gente pensa assim, mas, ao longo dos anos, tenho lido e visto várias entrevistas que contradizem a ideia, bastante comum, de que a ela é um diva arrogante. Na verdade, acho que a Naomi é bastante educada, bem humorada e simpática. Em cima, fotografada pelo fantástico Wolfgang Tillmans, para a edição de Novembro de 1997 da Vogue US. Trata-se de uma das minhas fotografias de moda preferidas. Primeiro, porque é extremamente positiva (o sorriso da Naomi é contagiante!). Segundo, porque foi tirada pelo Wolfgang Tillmans. Ele capta o real de forma exímia, algo que não é muito comum em editoriais de moda. A luz não tem aspecto artificial e o ambiente parece ser muito íntimo. O styling, a cargo de Camilla Nickerson, a cadeira e o espaço, transmitem paz e frescura, expressando o minimalismo dos anos 90 no seu melhor! Vejam o editorial completo aqui.

domingo, 29 de janeiro de 2012

I Am Love

Anteontem, revi, pela quarta vez, um dos meus filmes preferidos, o I Am Love. Razões para qualquer interessado em moda não deixar de ver esta obra-prima: a sua história e fotografia são lindíssimas, a música é soberba, a Tilda Swinton desempenha o papel principal e os seu guarda-roupa é praticamente todo Jil Sander (desenhado por Raf Simons, exclusivamente, para o filme). Hoje de manhã, pus-me a fazer screencaps do trailer do filme. Apeteceu-me.

#desabafo2

Esqueçam o post anterior. Eu estou apaixonado é por quase todas as colecções femininas de Primavera/Verão 2010. Céline, Versace, Proenza Schouler, Alexander McQueen, Prada, Miu Miu, Jil Sander... Enfim, uma grande temporada.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Inspirações de final de Janeiro

As minhas inspirações de final de Janeiro, no sentido dos ponteiros do relógio, a começar pelo canto superior esquerdo:
  1. Raf's Army - um editorial da edição de Janeiro do ano passado da Dazed & Confused. Uma celebração dos 15 anos de carreira do Raf Simons.
  2. A mais recente edição da revista BUTT dentro de um saco de plástico. Esta imagem acompanha uma interessante entrevista feita a Felix Burrichter, editor da revista PIN-UP, que está disponível no blog da Opening Ceremony.
  3. Uns calções azuis em cima de uma cadeira. Parte de uma exposição de Stuart Sandford.
  4. Hiropon (1997) by Takashi Murakami.
  5. little everyday pleasures - uma loja online adorável onde se podem encontrar brinquedos sexuais (mas não só!) sofisticados e esteticamente atraentes.
  6. (não está representado na imagem acima) Experiências musicais do Why Be. Gosto muito destas:



quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Gosto da nova campanha da Balenciaga

Vídeo de behind the scenes da campanha S/S 12 da Balenciaga

Nunca pensei que a campanha para a colecção S/S 12 da Balenciaga viesse a ser assim. Foi uma surpresa agradável! Acho que o Steven Meisel fez um óptimo trabalho. A complexidade e o aspecto cool característicos da marca estão lá chapados. O "ar desleixado" das modelos combina na perfeição com as magníficas peças desenhadas pelo Nicolas Ghesquière. O cenário é lindo! Faz-me querer viver naquele quarto. (Sempre achei que espaços muito arrumados dificilmente reflectem a personalidade de quem os habita). Vejam a campanha completa aqui.

O meu novo desktop ftw!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Wishlist de final de Janeiro

A minha lista de desejos actual, no sentido dos ponteiros do relógio: 
  1. Ténis Raf Simons F/W 12/13. Eu queria a colecção toda, mas como isso pode vir a sair um bocadinho caro, peço apenas os ténis. São feios e gosto deles por isso. Podem vir em qualquer cor. 
  2. Óculos de sol da ACNE em cor-de-rosa pálido. Adoro a forma, mas, sobretudo, a cor. 
  3. O look nº7 da colecção S/S 12 da Prada. Aquele blusão, aquela camisa e aquele lenço combinam na perfeição.
  4. Meias pretas da Sunspel para usar com os ténis Raf Simons.
  5. Bilhete de cinema para ver o We Need To Talk About Kevin. Estreia, finalmente, em Portugal, no dia 16 de Fevereiro.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

jewelry @ Lanvin

Eu gostei da colecção da Lanvin que foi apresentada ontem. Concordo com os que dizem que existiu demasiada variedade. De facto, as colecções masculinas da Lanvin têm sido muito pouco coesas, mas isso não nos impede de gostar das peças que as constituem. Neste caso, fiquei rendido a algumas sweaters (vejam esta... Tão bonita!) e às calças à boca de sino. Contudo, a meu ver, a melhor parte da colecção é mesmo a dos acessórios, mais concretamente a joalharia. Sim, eu, que não sou uma pessoa muito dada a acessórios do género, gostei imenso daqueles fios (ficam tão bem por cima de camisolas de gola alta!), pulseiras e anéis. Lembra-me esta pessoa.

(Espero que tenham apreciado o aspecto voyeurístico que dei às imagens. Achei que ia ao encontro da ideia de desejo intenso, quase inexplicável, por algo. #lol #boatentativa)

domingo, 22 de janeiro de 2012

Raf Simons F/W 12/13

A colecção que merece todos os elogios. A melhor da temporada. Raf Simons voltou a fazer magia! Vejam as imagens aqui. Aconselha-se a crítica do Tim Blanks, da Cathy Horyn (eu sei que ela adora tudo o que Raf faz, mas não podemos culpá-la por isso, não é verdade?) e a entrevista dada pelo designer à Dazed and Confused. #ColecçãoDivina #LovelySneakers #FineFreshFierce #NoSrslyThisIsPerfect #Hair #DemasiadoOcupadoECansadoParaPoderFazerUmaCríticaDecente

FYT: eu a tentar ter piada, ontem à noite, no Facebook. Zero likes, obviously.

sábado, 21 de janeiro de 2012

"It is often said that Prada makes clothes not for women's bodies but for their brains". Mais uma óptima entrevista. Aqui, no The Telegraph.

Paris, tenho algumas coisas a dizer sobre ti.

Rick Owens, well done!

Yohji Yamamoto apresentou-nos uma colecção muito elegante, romântica e boémia. Não sou um grande fã de elementos militares (digamos que já gostei mais deles), mas neste caso, como estavam associados a uma certa decadência, acho funcionaram muito bem. O casting: invulgar, mas impecável, como sempre.

Stefano Pilati também fez um óptimo trabalho com a nova colecção da Yves Saint Laurent. Motorcycle gear fetish ftw! Pois é, mais black leather. Uma colecção bastante coesa que se destaca pelos detalhes. Os sapatos? Lindos.

Vamos ser honestos em relação à colecção da Givenchy: não foi nada de especial. Aquele castanho e aquele azul... Eww! O calçado: simplesmente, horrível. Prints? Um bocadinho farto deles. De qualquer forma, estaria a mentir, se dissesse que não tinha visto coisas interessantes. Piercings tribais? I'm in!! Os looks finais, com cristais na zona do pescoço, salvaram a minha esperança.

Maison Martin Margiela apresentou-nos uma boa colecção. Sim, foi boa. Bastante sensual.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Eu gostava de ter, pelo menos, uma peça desta colecção.


This goes hard!! Colaboração entre a Anglec e a Altamont. Vejam as cinco peças que constituem a colecção aqui. Eu sou um grande fã do Gosha Rubchinskiy, inclusive já escrevi um artigo sobre ele para a Janela Urbana. Identifico-me imenso com o seu trabalho, com a sua estética... Ele só precisa de ser um bocadinho mais conhecido (ou não!). Imagens via Anglec.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

The Designer by Michael Specter

"She has a complex about fashion being “superficial and dumb.” Prada doesn’t sew, embroider, sketch, etc. Instead, she surrounds herself with talented people who translate her themes, concepts, and taste into clothes. This unusual approach has made her one of the most influential designers in the world, and one of the most powerful women in Europe. Prada Group now owns controlling interests in Azzedine Alaia, Jil Sander, Helmut Lang, etc. Anyone who wanders into one of Prada’s 165 stores would have to acknowledge that she’s changed the way people think about clothes. Prada’s clothes can be odd and, at times, even purposefully ugly. She is a handsome “sexily dowdy” woman of 53 with her own distinct style. (...) Prada claims she still doesn’t understand fashion." - The New Yorker (2004)

Coisas que tenho a dizer acerca de Milão

Versace foi muito bom. Foi divertido, foleiro e sensual. Foi Versace! Estavam lá todos os clichés da marca: maximalismo, cores fortes, glamour, detalhes exuberantes e luxuosos, peças justas e, claro, o padrão grego. Pensem num cruzamento entre o Marlon Brando em O Selvagem (1953) e o Derek Zoolander, ao som dos Scissor Sisters! É mais ou menos isso... Acrescentem só umas vibes de Tom of Finland e alguma inspiração militar e, pronto, já está! Good job, Donatella! Vejam a colecção aqui.

Esta temporada tem sido fantástica. Forte! Através de desfiles marcantes, as grandes marca têm afirmado a sua essência. Veja-se o caso de Jil Sander - ousado, tenso, mas ao mesmo tempo fiel ao código genético da marca - e de Prada - casting épico e colecção imponente, sem descurar da já característica ironia de Miuccia. Versace não ficou atrás. Vimos um desfile cheio de personalidade que, com orgulho, mostra ao mundo do que é feita a casa italiana! 

Quanto a tendências, verifica-se que a maioria das colecções exibe looks maduros, associados a um imaginário de poder e luxo. Para o próximo Outono/Inverno não haverá espaço para fracos. Querem-se homens com atitude, disciplinados e racionais. Será mesmo necessário dizer que peças em pele preta são uma tendência? É tão óbvio!... É certo que ainda só vamos em Milão, mas elas estão, praticamente, em todo o lado!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Prada F/W 12/13 (menswear)

Não vou fazer uma crítica extensa à colecção. Deixo isso para os melhores... A Suzy Menkes, o Tim Blanks e o Eric Wilson já disseram o que tinham a dizer. E disseram bem. De qualquer forma, queria só deixar claro o facto de ter adorado o desfile. Sem dúvida, memorável. Quanto à colecção, achei-a linda! Os meus looks favoritos são os que vêem acima. Adorei as cores, os prints característicos de luxuosos pijamas de seda, as golas altas por baixo das camisas, as combinações de cores, a ironia presente nos detalhes (a utilização de borracha nos sapatos e desenhos de flores nos mesmos, broches em forma de bolas de rugby, a utilização de plástico em casacos...). Vejam a colecção completa aqui.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Congratulations! You've been invited to...


Convites para vários desfiles femininos da temporada S/S 11.
Vejam mais aqui.

Jil Sander F/W 12/13 (menswear)

Um homem rico e informado que trabalha num escritório, talvez, quem sabe, em Wall Street, tal como o Patrick Bateman. Existem vários elementos, nesta colecção da Jil Sander, que nos remetem para esse mesmo imaginário: os fatos e as gabardines, os jornais (International Heral Tribune), as pequenas malas em forma de “saco para merenda” e as pastas para documentos e computadores portáteis. 

Mas não foi só isso que me fez estabelecer um paralelo com o American Psycho… Reparem nas luvas em pele à serial killer, o aspecto extremamente cuidado dos modelos que grita cosméticos, o inocente desenho de um rádio que aparece num dos colarinhos de marinheiro (“Do you like Huey Lewis and The News?”). Além disso, estão presentes nesta colecção fortes dicotomias comuns ao filme de Mary Harron – severo/frágil, maduro/infantil, horror/comicidade...

Estes são os meus três looks favoritos da colecção. No primeiro, gosto imenso da sweater. Simples, mas igualmente invulgar, por causa da pele. O segundo look prendeu-me a atenção, porque as suas peças não parecem ser feitas de pele, mas sim de nylon. Gosto muito da forma do casaco. O terceiro look transmite umas vibes de anos oitenta que me deixa com um sorriso na cara. 

Os acessórios, nesta colecção, são todos fabulosos. Fiquei encantado com as clutches de pele que dão para transportar jornais, os “sacos para a merenda” (A transformação de um objecto completamente vulgar, em algo de luxo. Não é a primeira vez que o Raf faz isto. Lembram-se do saco de compras da colecção S/S 11?) e os desenhos infantis de baleias, dinossauros, peixes e rádios presentes em várias peças.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Vrrrm!...vrrm, vrrm, vrrm, vrrrrrrrrmmmmmmmm...

Lernert e Sander constituem uma dupla de artistas holandesa que contribui frequentemente para vários projectos, incluindo o Nowness e as revistas Fantastic Man e BUTT. Hoje de manhã, tropecei num video-clip maravilhoso realizado por eles. A música chama-se Elektrotechnique e é de uma banda chamada De Jeugd Van Tegenwoordig. O vídeo, basicamente, mostra-nos uma série de "máquinas de sexo" a trabalhar, que são feitas de objectos e materiais domésticos e que satisfazem vários tipos de fetiche. Para alguns, a descrição pode não ser convidativa, mas garanto-vos que se começarem a ver o vídeo não vão querer carregar no botão pause, uma vez que as tais máquinas estão inseridas num contexto estético bastante apelativo e cuidado. Vejam:


A verdade é que o vídeo deixou-me intrigado e, por isso, decidi reunir uma série de fotografias que, de certa forma, nos remetem para um lado fetichista da moda, relacionado não só com máquinas (carros, motas, escadas rolantes, etc.), mas também com outros objectos e elementos contranaturais que fazem parte da nossa realidade (PVC, poliéster, neopreno, etc.). Portanto, ya, espero que gostem! Inspiração para todos... :)

The 80s Club!

Bem-vindos ao mundo Balenciaga Pre-Fall 2012, o melhor sítio para matar saudades dos anos 80. Aqui, as vidas passam-se em discotecas. Discos de vinil da Madonna, dos Heróis do Mar e dos Duran Duran espalhados pelo chão. As paredes são decoradas com luzes néon e quadros do Patrick Nagel. Sem telemóveis, sem Internet. Apenas roupas foleiras e sintetizadores... O paraíso! DJ, põe lá a Faces dos Electic Youth...

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Luís Buchinho S/S 12

Impossível não gostar da mulher Luís Buchinho. Estes quatro looks pertencem à colecção S/S 12 do designer português. Gosto especialmente dos dois à direita... Alimentam o meu fetish por roupas com fechos éclair. O lookbook, da autoria de Luís Espinheira, pode ser visto por completo aqui.